Você está aqui: Home Destaques Projecto de Recuperação de Ribeira - Ourique

Projecto de Recuperação de Ribeira - Ourique

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

ribeira_santana_serra_ouriqueO Centro Vasco da Gama, em parceria com o Instituto Politécnico de Beja, através da Escola Superior de Tecnologia e Gestão, desenvolveu o Projecto de Recuperação da Ribeira de Santana da Serra, no Concelho de Ourique, tendo em vista a colmatar lacunas da versão original do projecto, em alguns requisitos do ponto de vista hidráulico, nomeadamente, relacionados com o conjunto de açudes preconizados naquele estudo.

Com a coordenação geral de um docente da ESTIG, o estudo final foi concluído no mês de Dezembro de 2009.

Descrição

Em Outubro de 2002 foi efectuado um projecto de recuperação paisagística da ribeira de Santana cujo o objectivo final era atribuir, ao troço da ribeira localizado em Santana da Serra no Concelho de Ourique, Distrito de Beja, um carácter lúdico, proporcionando

zonas de lazer, compostas por espaços verdes e por mobiliário urbano, não esquecendo a sua adequada integração paisagística no meio envolvente.

O citado projecto foi sujeito a um Parecer por parte da CCDR do Alentejo, Serviços de

Beja, em Setembro de 2005 (Proc. nº.1520) no qual se apontou a necessidade de uma

reformulação/beneficiação ao projecto apresentado.

O presente estudo dá resposta ao Parecer mencionado, especialmente do ponto de vista hidrológico e hidráulico.

O estudo encontra-se dividido em 5 capítulos distintos:

 

Capítulo1 – correspondente à presente Introdução, na qual se apresenta o âmbito do presente estudo e a forma como se apresenta dividido o respectivo relatório;

Capítulo 2 – correspondente à Delimitação e caracterização do troço de ribeira em estudo, no qual se efectua o enquadramento e delimitação do troço em estudo, caracterizando-se a área envolvente, assim como a bacia hidrográfica que drena para o referido troço, apresentando-se ainda uma caracterização do estado de ocupação do solo, tanto no troço em estudo, como na bacia hidrográfica do mesmo;

Capítulo 3 – correspondente ao Estudo Hidrológico, no qual se calcula o tempo de concentração da bacia hidrográfica por recurso a diversos métodos disponíveis na literatura, se caracterizam vários eventos de precipitação com períodos de retorno com 10, 50 e 100 anos e se calculam os hidrogramas de cheia correspondentes aos eventos de precipitação mencionados;

Capítulo 4 – correspondente ao Estudo Hidráulico, no qual se averigua se as intervenções previstas na projecto de arquitectura não influem na capacidade de transporte do troço de ribeira sujeito a intervenção. Esta capacidade de transporte é averiguada, em particular, para dois tipos de cheias, uma mais frequente, associada a um período de retorno de 10 anos e outra, de carácter extraordinário, associada a um período de retorno de 100 anos. Dentro deste Capítulo 4, avalia-se ainda a capacidade de vazão da passagem hidráulica localizada sob o IP1, na secção inicial do troço de ribeira em estudo. Esta avaliação contempla a existência dos blocos de pedra que, segundo o projecto de arquitectura, deverão ser alinhados transversalmente ao leito em seis secções distintas ao longo do troço a intervencionar, avaliando se o plano de água criado pela primeira fileira de blocos de pedra, não reduz a secção disponível para escoamento na secção de saída da passagem hidráulica induzindo assim, à redução da capacidade de vazão desta estrutura. Esta avaliação é efectuada com base em dois caudais de referência, de dimensionamento e de verificação, com períodos de retorno de 50 e 100 anos, respectivamente.

 

Capítulo 5 – correspondente às Conclusões e Recomendações, no qual se efectua um resumo geral das principais conclusões decorrentes dos resultados obtidos no presente trabalho, efectuando-se algumas recomendações futuras.